BKFWTOUR: AS PRINCIPAIS TENDÊNCIAS PARA O VERÃO 2017 DIRETO DE MILÃO E PARIS

BKFWTOUR: AS PRINCIPAIS TENDÊNCIAS PARA O VERÃO 2017 DIRETO DE MILÃO E PARIS

Hi, Buddies,

O homem proposto pelas marcas nesta temporada continua o mesmo: aquele viajante que coleta referências por onde passa e constrói seu guarda-roupa de forma única e autoral. E desta vez ele viajou, viu…

A começar pela Prada, que mostrou no seu desfile o quão fashion um viajante pode ser. Exagere nas cores e sobreposições, vista sua papete com meias, pegue mais alguns casacos e parkas – de náilon, claro! – amarre os sapatos do lado de fora da mochila e vai! E ele foi mesmo…

Sua próxima parada foi na África cool and chic que a Louis Vuitton construiu para mostrar que os safáris urbanos são possíveis. Estampas de animais como zebra, leão e outros moradores da savana africana permearam a coleção que, na minha opinião, foi a mais bonita até hoje. Destaque, claro, para as malas, bolsas e mochilas inspiradas naquele que é um dos continentes mais lindos do mundo.

Depois de dias entre o Quênia e a Tanzânia, é hora de voar até os Estados Unidos para conferir de perto a final de um jogo de basquete com os times que Philipp Plein criou para mostrar seu verão 2017, que vem cheio de referências deste universo e do rap americano. Tênis de cano alto, calças e jaquetas com patches foram as apostas do estilistas que sempre arma um mega show para mostrar sua coleção.

MURAL1

E, se a ideia é realmente não parar, seu próximo destino é a Jamaica. A terra de Bob Marley e suas cores inspiraram ninguém menos que Paul Smith. O estilista inglês construiu sua coleção com ares dos anos 1970, evidente tanto na silhueta quanto nos cortes de cabelo dos modelos. Estampas, sobreposições e xadrezes nos casacos e costumes misturados a rebeldia inglesa, resultaram em looks punk-reggae-chic.

Claro que toda boa viagem precisa de uma excelente trilha sonora. E foi assim que a Dolce & Gabbana embalou seu próximo verão. O ritmo escolhido foi o jazz e todo sua atmosfera dos anos 1980. O grande destaque foram as calças com cintura alta e o retorno das pregas num jogo de proporções interessante. Isso sem falar dos bordados nas jaquetas e das estampas que remetem ao jazz e a ícones da cultura italiana, como a estampa de abacaxis. Extravagancia que só a Dolce consegue fazer.

E por falar em Itália, como sempre as marcas comandas pelo Sr. Armani traduzem o homem italiano com maestria. Chique na medida certa, a Emporio Armani apostou nos lenços no pescoço e cores como o azul marinho e o vermelho, além de calças mais relaxadas, porém, na altura exata. Já a Giorgio Armani, em calças com cintura alta e looks que remetem aos anos 1990.

E se a moda italiana inspira o mundo, a Salvatore Ferragamo é uma de suas responsáveis. Tons sóbrios misturados as looks total white, monocromia, lenços e sandálias foram suas apostas. Os bordados nas roupas com jeito de uniforme e as calças relaxadas mostraram que o verão da marca será brilhante.

Depois de dias de Dolce far Niente, hora de se aventurar por campos e florestas com a Valentino. Chique, descomplicada e intencionalmente inacabada, ela apresentou uma coleção com referências militares, porém em tons claros e com detalhes interessantes, como sobras de linhas e costuras. O camuflado estava presente, assim como a releitura de uma pantera usada pelo próprio Valentino nos anos 1960.

Quem também apostou nos looks militares com cores claras foi a Moncler Gamme Bleu no seu acampamento gerenciado por ursos. Com inúmeras sobreposições, bolsos utilitários e alfaiataria desconstruída, e marca mostrou que a vida dos militares da moda pode ser muito mais divertida.

MURAL2

O bacana de todas essas viagens é que o estilo desse homem é mutável e ele pode usar o que quiser de acordo com seu humor. É por isso que quando ele está na França as opções são as mais variadas possíveis. Ele pode sair para jantar com a elegância e refinamento que só a Hermés consegue construir. Nesta coleção, o tom que a marca elegeu foi o amarelo, misturado de forma esperta com cores mais sóbrias e papetes. Vale dizer que o acabamento de cada peça da marca é como uma obra de arte, supremo.

Agora, se o assunto for dress to impress, aí quem domina é a Dior Homme. Com looks instigantes e acessórios agressivos – como colares de correntes e abotinados, foram as ruas que ditaram as regras do jogo com o diretor criativo Kriss Van Assche. O vermelho deu o tom em meio a cores sóbrias; já as estampas com efeito optical foram as responsáveis por deixar essa coleção inspirada nos punks dos anos 1980, graças as calças amplas e jaquetas bombers, simplesmente perfeita.

Até a próxima e boa viagem!
MURAL3

One comment

  1. tudo muito lindo e cheio de estilo
    BJSSSS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *