ALGUNS MODELOS DE SAPATOS MASCULINOS QUE FIZERAM HISTÓRIA

Falar sobre sapatos é um assunto sempre relevante aqui no blog.

Sabemos que os sapatos masculinos, quando usados adequadamente, são o reflexo do estilo de uma pessoa, principalmente quando se trata dos homens. Há quem diga que se conhece um homem pelo sapato que ele usa. Desta forma, é preciso ficar atendo aos modelos escolhidos para conseguir passar a mensagem correta.

Não basta apenas comprar um sapato caro. É preciso entender sobre os variados modelos que existem e como adequá-los ao seu dia a dia. É claro que não precisa ser algo extremamente rígido, mas cada sapato tem um tipo de lugar para “passear”, complementando ainda mas a roupa que você escolheu.

Separei alguns modelos que fizeram sucesso ao longo da história:

Não tem como falar de sapatos masculinos sem citar o clássico Oxford. É um dos mais elegantes e originais entre os modelos. O salto é baixo e se usado com o tornozelo exposto, fica incrível. Conta-se que esse modelo surgiu na Escócia e na Irlanda, mas é chamado de Oxford por ter sido adotados pelos alunos da Universidade de Oxford em 1640, quando se consolidou. Como é um modelo formal, ele fica ainda melhor se for de couro preto ou com acabamento em verniz. É um sapato que vai desde eventos não tão sofisticados até festas de gala. Mas nada impede que você faça uma combinação hi-lo (high-low), onde é possível usar o chic com algo mais simples. Se for marrom ou em camurça, ele atende super bem produções menos formais e durante o dia.
Já o Derby é o conhecido sapato com cadarços que pode ser de bico mais quadrado ou não e sem a divisória na ponta. É bem parecido com o Oxford, na verdade deriva dele, porém não é tão formal quanto. É muito comum aparecer modelos em camurça. Uma de suas características para reconhecer um modelo Derby é que a parte dos furos para o cadarço é situada em abas laterais costuradas sobre o corpo do sapato.
O Monk Strap, mais conhecido apenas como Monk, é o modelo que apresenta duas alças e suas fivelas, chamadas de double monk straps. Está super em alta nos últimos tempos. É considerado um sapato formal, que inclusive usei no Baile da Vogue recentemente, mas pra muitos não supera a elegância de um Oxford, por ser mais descolado. É um sapato fácil de reconhecer, pela ausência de cadarços, que são substituídos por fivelas. Bom para ternos sem ou até mesmo com gravatas, pode também ser facilmente combinado com calças de alfaiataria e camisa social. Se quiser apostar nele numa produção bem descontraída, a ideia pode ser escolher um de camurça.
Há o famoso sapato Brogue. Mas vale lembrar que o nome Brogue não se refere a um tipo de sapato, mas sim aos furos decorativos que esses sapatos apresentam. Ele é uma derivação do Oxford. Esses furinhos não foram criados por acaso. Usado por trabalhadores e caçadores no passado, os furos serviam para drenar a água dos sapatos. Assim os trabalhadores poderiam passar pelos mais diversos terrenos que não ficavam com os sapatos encharcados. Mesmo que os homens de hoje em dia não precisem afundar os pés em nenhum lugar, o modelo é uma escolha inteligente para qualquer homem. Por sua informalidade, pode ser usado até mesmo com o jeans.

Deixe seu comentário:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *